quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Janela



Quando olho pela janela, vem aquele ventinho, e percebo que tudo o que aconteceu,
não foi em vão, pelo menos pra mim,
não quero te esquecer, mas também,
não quero te ter comigo.
Porque você apareceu em minha vida?
É tão dificil permanecer no anonimato?
Porque estais tão perto que nem mesmo o percebo?
Porque tudo ainda me liga a ti?
Será que devo mesmo continuar pensando?
Como eu queria que tudo fosse diferente.
Como eu queria que tudo tivesse sido em vão, não quero ficar pensando
em todos os nossos momentos,
de brigas, discursões, desentendimentos, mentiras, enganos, sorrisos, malícias,
entre outros que para mim, não valem apena serem ditos,
como queria que tudo tivesse passado por um sonho, que na verdade,
acabou se tornando puramente um pesadelo, que claro, era a pura lógica da vida,
nada é para sempre, mas tudo é por acaso.
Mas fico aqui pensando, em como seria se não o tivesse conhecido,
nada seria como hoje, nada seria como o agora,
tudo seria diferente.